Ginecologia do HC-FMUSP esclarece dúvidas da população sobre Síndrome dos Ovários Policísticos

Palestra gratuita no sábado (19), das 10h às 12h

Síndrome dos Ovários Policísticos tem cura?

Para esclarecer dúvidas sobre a doença, que acomete uma em cada seis mulheres, em idade reprodutiva, a Clínica Ginecológica do Hospital das Clínicas da FMUSP promoverá palestra gratuita, no próximo dia 19 de março (sábado), das 10h às 12 h, no Centro de Convenções Rebouças (Av. Rebouças, 600).

As inscrições podem ser feitas pelo e-mail: secretariagin.ichc@hc.fm.usp.br. As vagas são limitadas.

Participam da palestra: ginecologistas, endocrinologistas, educadores físicos e outros profissionais do HC e da USP. Além de informações sobre a síndrome, serão discutidos os cuidados com a pele, alimentação e a relação da SOP com a obesidade.

Segundo Gustavo Maciel, responsável pelo ambulatório de Ginecologia Endócrina e Climatério do HC, apesar de frequente, o que muitos desconhecem é que a SOP pode desencadear outros males. “As mulheres têm maior tendência a ganhar peso e a terem alterações na glicose, o que no futuro pode virar diabetes”, explica.

O primeiro alerta de que a mulher possa ter o problema é quando a menstruação é irregular e apresenta alterações relacionadas a hormônios, como aumento de pelos na face e corpo, acne e manchas escuras nas dobras dos braços, pernas, axilas e virilha. Isso pode reduzir, em muito, a sua autoestima e trazer transtornos ao seu bem-estar.


O diagnóstico depende dos sintomas e deve ser confirmado com exames laboratoriais e de imagem.

O tratamento envolve o uso de medicamentos para equilíbrio hormonal (regularizar o ciclo menstrual). Porém, somente isso não é suficiente, alerta o médico. “É preciso investigar também os fatores de riscos para a prevenção de complicações futuras, a exemplo da infertilidade, diabetes, obesidade e, até mesmo, câncer.

A recomendação de Gustavo Maciel é um acompanhamento médico adequado, associado à atividade física, alimentação saudável e perda de peso para minimizar os sintomas e prevenir outras doenças.

Assessoria de Imprensa
Instituto Central do HC
Bete Subires