img imprensa1

HC participa de encontro nacional da Rede Sentinela

HC participa de encontro nacional da Rede Sentinela

Entre os dias 7 e 9 de agosto, aconteceu em São Paulo o 16º Encontro Nacional da Rede Sentinela, com o tema "Vivenciando a Inovação para a Segurança do Paciente". A Rede Sentinela é uma estratégia criada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) em parceria com os serviços de saúde, para ampliar e sistematizar a vigilância de produtos para a saúde, com o objetivo de garantir melhores produtos no mercado com segurança e qualidade para os pacientes e profissionais de saúde. Desta forma, a Rede funciona como observatório dos serviços para o gerenciamento de riscos à saúde. O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP) foi representado no Encontro por Gerentes de Riscos (GRs) dos Institutos e também pelo Núcleo de Planejamento e Gestão (NPG), que faz a coordenação destas atividades da Rede no Complexo HCFMUSP. Foram apresentados trabalhos desenvolvidos no Instituto de Radiologia (InRad) e pelo NPG em parceria com os GRs e com o Comitê de Avaliação e Controle em Medicina Transfusional (CACMT).

FMUSP aprova Código de Conduta Ética

A Congregação da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) aprovou, no mês de junho, o Código de Conduta Ética da Comunidade FMUSP. Resultado de um processo que durou cerca de dois anos e meio, incluiu a busca ativa e sistemática de documentos institucionais em bancos de dados disponíveis online, seguida por uma análise documental para que o Código conversasse com as diversas normas existentes na Universidade e na Faculdade.

Para isso, foi necessária a compilação e adaptação do conteúdo de códigos deontológicos, estatutos, regimentos de universidades nacionais e internacionais, legislação vigente nos âmbitos federal e estadual, assim como marcos normativos éticos e de direitos humanos, que resultaram na primeira versão completa da proposta do Código de Conduta Ética. Esta primeira versão ficou pronta no segundo semestre de 2015. Entre junho de 2016 a agosto de 2017, foi submetida à apreciação da Comunidade FMUSP.

A criação de um Código de Ética para a FMUSP responde a algumas necessidades apontadas anteriormente. Uma delas era atender o Eixo de Humanização do Planejamento FMUSP 2020, que visava melhorar as relações interpessoais. Também havia a necessidade de dar continuidade a iniciativas institucionais e responder às demandas da Ouvidoria e do Núcleo de Estudos e Ações em Direitos Humanos (NEADH).

Para conhecer o Código de Conduta Ética da Comunidade FMUSP, acesse aqui.

Fonte: Boletim FMUSP – 6 de agosto de 2018, via Assessoria de Comunicação da FMUSP

HCFMUSP prepara evento que celebrará os 50 anos de transplante de fígado no Brasil

Há 50 anos foi realizado o primeiro transplante de fígado da América Latina e do Brasil, no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). Em 5 de agosto de 1968, o Prof. Marcel Machado e sua equipe realizaram o primeiro transplante hepático no HCFMUSP. Em 1988, o Prof. Silvano Raia e sua equipe realizaram, também nessa instituição, o primeiro transplante de fígado intervivos do mundo.

Atualmente, o Hospital das Clínicas mantém seu pioneirismo e completa 2.000 transplantes de órgãos abdominais já realizados. São mais de 120 transplantes de fígado por ano e cerca de quinze transplantes de pâncreas. Fato de destaque do último ano foi o primeiro transplante de fígado por febre amarela. Nesse contexto de inovação, o Serviço já realizou dois transplantes multiviscerais e o primeiro transplante de intestino isolado com sucesso do Brasil. Mantém um programa de excelência em reabilitação intestinal, com mais de 14 pacientes reabilitados até o momento. Além disso, foi realizado pela Disciplina de Transplantes, em parceria com a Obstetrícia, o primeiro transplante de útero com doadora cadavérica das Américas. O procedimento foi um sucesso, com o nascimento de um bebê saudável, com doador cadáver, o primeiro caso do mundo.

Assim, A Faculdade de Medicina da USP, o Conselho Diretor, a Diretoria Executiva do Instituto Central e o Serviço de Transplante de Fígado e Órgãos do Aparelho Digestivo do Hospital das Clínicas da FMUSP convidam para a cerimônia solene de comemoração dos “50 anos de transplante de fígado no Brasil e realização de 2.000 transplantes no Instituto Central do HCFMUSP”, no dia 21 de agosto, às 10h, no Teatro da FMUSP.

Instituto do Câncer premia personalidades na luta contra a doença

Instituto do Câncer premia personalidades na luta contra a doença

O Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) realizou na noite da segunda-feira, 6 de agosto, a entrega do Prêmio Octavio Frias de Oliveira. O evento, que está em sua nona edição, tem como objetivo promover o reconhecimento e a contribuição nacional na prevenção e combate ao câncer.

O prêmio foi concedido em três diferentes categorias: Personalidade de Destaque, Pesquisa em Oncologia e Inovação Tecnológica em Oncologia. Os vencedores recebem uma premiação em dinheiro, no valor de R$ 20 mil cada, além de um certificado. Foram escolhidos por uma comissão julgadora do ICESP e do jornal Folha de S. Paulo, além de membros da sociedade comprometidos com o tema.

Na categoria Personalidade de Destaque, o ganhador foi Prof. Dr. Antônio Sergio Petrilli, Diretor Geral do Instituto de Oncologia Pediátrica - GRAACC, um dos principais nomes da oncologia pediátrica do País. Incansável na busca por novas tecnologias, sua principal missão sempre foi garantir todas as chances possíveis de cura e qualidade de vida ao máximo de crianças e adolescentes com câncer no Brasil.

Na segunda categoria, Pesquisa em Oncologia, o destaque foi para os pesquisadores do Instituto de Química da USP, pelo estudo que busca entender o mecanismo que as células usam para formar metástases, que passam por todo o sistema imunológico, invadindo outro tecido e crescendo em outro local. Coordenado pela pesquisadora Claudiana Lameu, o grupo encontrou uma molécula que diminui fortemente o processo do câncer, que poderá ter uma aplicação futura para melhoria dos tratamentos atuais.

A descoberta é inovadora e envolve uma via molecular pouco apreciada em oncologia, a via peptídeo bradicinina, originalmente descoberta no Brasil.

Quem levou o prêmio em Inovação Tecnológica em Oncologia foi o pesquisador Marcos Tadeu dos Santos, representando o grupo de pesquisadores da ONKOS Diagnósticos Moleculares, no trabalho desenvolvido em conjunto com o Hospital do Câncer de Barretos e o laboratório Fleury, sobre tumores metastáticos de origem desconhecida. O grupo desenvolveu um exame onde dezenas de genes são interpretados e analisados por uma inteligência artificial, sendo possível sugerir ao oncologista qual a origem tecidual dos tumores metastáticos, tentando auxiliar num tratamento mais direcionado e eficaz ao paciente.

“É um orgulho muito grande para o ICESP premiar contribuições que são fundamentais ao paciente oncológico, profissionais que estão constantemente focados na cura do câncer, seus avanços e novas possibilidades de tratamento”, afirma o Diretor Geral do ICESP, Prof. Dr. Paulo Hoff.

“A premiação tem como principal objetivo incentivar e prestigiar profissionais comprometidos com a compreensão da doença e seu combate, que dedicam suas vidas à pesquisa, trazendo possibilidades de novas terapias e avanços à medicina. Eles merecem nosso reconhecimento e respeito”, comenta o presidente do Conselho Diretor do ICESP, Prof. Dr. Roger Chammas.